QUANDO PERCEBI QUE VIREI GENTE GRANDE

postado por Lorenna Guerra


Entre muitos males, o facebook também tem seu lado positivo. Ele não deixa que você suma da vida das pessoas por causa da distância. Você se afasta, é claro, mas isso é normal. Porém, se você perdeu o telefone ou não sabe mais o endereço daquele amigo que já foi tão querido, você pode usar o facebook pra contar que está indo passar o feriado na cidade em que ele mora. Vocês podem se encontrar, matar a saudade e relembrar bons tempos. E isso é magnífico. Graças a esse contato não perdido, às fotos que vejo diariamente e aos posts e desabafos que alguns fazem na linha do tempo, eu me sinto perto. E foi assim que comecei a perceber que virei gente grande. 

A maioria dos meus amigos estão encaminhados na vida, fazendo faculdade, construindo uma família feliz ou trabalhando pra conseguir suas próprias coisas. Ah, só pra não deixar passar batido, assim, com cara de perfeição: Quando eu digo família feliz não me refiro a um pai, uma mãe e três crianças passando margarina no pão e sorrindo na mesa do café. É dessas famílias reais mesmo, com problemas, mas inúmeras alegrias compartilhadas e multiplicadas, graças ao amor. Algumas dessas uniões não foram nada convencionais, e muitas vezes essas são as mais exemplares. O mundo também mudou, sabia? Além dos casos comuns entre homens e mulheres, tenho amigas que namoram outras moças, amigos que conheceram o homem dos sonhos. E graças a essa mudança do mundo, também acompanho alguns desses relacionamentos não convencionais - e lindos - no facebook, porque muitos deles já não se escondem. Vejo status de relacionamento sério, fotos de viagens e declarações de amor. Espero que um dia todos que assim são façam coisas do tipo. Espero que parem de se esconder e de ter medo desse mundo preconceituoso e violento. Porque infelizmente, ainda existem pessoas intolerantes que agridem verbalmente ou fisicamente simplesmente porque não entendem que existem várias formas de amor. Mas hoje o post não é sobre isso.

Acontece que eu parei pra pensar na vida e percebi que cresci, e que meus amigos cresceram. Nunca fui de me fixar em um grupinho e ali ficar por cinco anos (na verdade, acho que nem mesmo por dois). Eu sempre tive amigos mais velhos, da minha idade e mais novos. Isso é bom, eu garanto. São modos de viver a vida diferentes, formas de diversão diferentes e assuntos diferentes. Eu sempre aprendi muito com aqueles que tem alguns anos a mais, e levei os conselhos pra vida. Compartilhei com os que eram da minha idade, e agora que estou mais velha costumo ajudar quem está passando pelos mesmos problemas que eu tive ou cometendo erros que eu já conheço. A vida é complexa demais, difícil demais, confusa demais. Mas boas companhias ajudam. Aquelas companhias que querem o seu bem são essenciais. Elas te fazem perceber que apesar disso tudo que eu disse sobre a vida, ela também é divertida demais, linda demais e gostosa demais. Amigos, colegas, conselheiros. Mesmo que você um dia se distancie de alguém que foi especial durante uma fase da sua vida, lembranças vão ficar eternamente guardadas com você.

Hoje eu percebi que em menos de um mês completo vinte e um anos. E aqueles amigos que tem um pouco mais idade já estão formando, e outras vão chegar lá logo logo. Percebi que daqui a uns dias vou cuidar da saúde com um médico amigo meu, cuidar dos dentes com um dentista que passou a adolescência comigo, fazer minha casa com uma amiga que escolheu a arquitetura como o trabalho da vida. Espero ver notícias sobre aquela bioquímica amiga minha, levar meu animal de estimação em uma consulta com o veterinário amigo, ligar a tv e ver uma jornalista querida. Percebi que quando eu tiver filhos, pode ser que eles tenham aula com aquela amiga que faz Letras, ou com aquele amigo que faz Geografia. E percebi que meus filhos vão ser colegas de classe dos filhos dos meus amigos. Confuso, né? Mas eu acho tão bonito!

Depois de pensar sobre tudo isso e refletir sobre, chegamos aqui. E depois de escrever tanto, fico sem saber como concluir o texto. Eu acho tudo isso muito bonito, já disse. Acho lindo ver todas essas mudanças e laços criados no decorrer do tempo, acho que estou feliz, que toda essa análise foi positiva. Eu só não sei o que dizer. A propósito, sempre fui boa em redações escolares, o que me trava um pouco são sempre as conclusões. Eu não sei o que dizer do futuro, não sei o que esperar desse futuro tão próximo. É que por um segundo parece que as coisas aconteceram tão de repente. Ontem eu era uma criança e hoje... espera ai... quem foi que esticou minhas irmãs enquanto eu dormia? Elas estão lindas, e grandes, e adolescentes. E eu virei gente grande. 

1 comentários:

  1. Muito lindo esse texto só de ler eu já pensei em várias coisas beijos.

    http://sonhandoemlondres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Voltar ao topo